Fórmula 1 – A empresa saudita Aramco se torna mais um parceiro oficial da categoria.

A F1 aumentou a sua carteira de parceiros oficiais, com o anuncio hoje da parceria com a empresa saudita Aramco.

A Aramco é especializada na produção de energia e produtos químicos e espera desenvolver as suas tecnologias com a F1 para criar combustíveis sustentáveis e melhorar a eficiência dos motores como parte dos novos planos de sustentabilidade do automobilismo anunciados em novembro passado.

No entanto a Aramco foi considerada uma das empresas com maior taxa de emissão de carbono, depois de uma investigação conduzida pelo jornal The Guardian, e uma estimativa afirmou que a empresa saudita contribuiu com quase 60 mil milhões de toneladas de dióxido de carbono desde 1965.

“Estamos muito satisfeitos em receber a Aramco na família Fórmula 1 como um parceiro global de longo prazo ao iniciarmos a temporada de 2020”, disse Chase Carey, CEO e Presidente da F1. “Estamos ansiosos para compartilhar a nossa experiência e trabalhar com a Aramco em inovação tecnológica e beneficiaremos das suas capacidades e experiência no setor de combustível e energia.”

“Estamos empolgados em fazer a parceria com a Formula 1, uma forte marca global do automobilismo, com milhões de fãs em todo o mundo”, acrescentou Amin H. Nasser, presidente e CEO da Aramco. “Como maior fornecedor mundial de energia e líder em inovação, temos a ambição de encontrar soluções inovadoras para motores com melhor desempenho e energia mais limpa. Parcerias como essas são importantes para nos ajudar a cumprir nossas ambições.“

A Aramco se junta assim à DHL, Emirates, Heineken, Pirelli e Rolex, tornando-se patrocinadora oficial dos GP de Espanha, Hungria e EUA. Esta parceria poderá indicar também que a porta se abriu ainda mais para um possível GP na Arábia Saudita que já recebe a Fórmula E.